Home / Cinema / Joseph Gordon-Levitt comenta sobre o andamento de Sandman

Joseph Gordon-Levitt comenta sobre o andamento de Sandman

Joseph Gordon-Levitt Sandman

O ator Joseph Gordon-Levitt (A Origem), que irá dirigir, produzir e ser um dos possíveis roteiristas do filme de Sandman, resolveu falar mais detalhes sobre o andamento do projeto.

“São várias pessoas que trabalharam nos filmes do batman do Nolan. É realmente emocionante. Ainda não há um roteiro, estamos trabalhando nisso, porque é uma adaptação complicada, visto que Sandman não foi escrito como um romance.”

“Sin City foi escrito como um romance. Sandman tem 75 publicações. Essa é uma razão pela qual as pessoas tem tentado e falhado ao adaptar Sandman nos últimos vinte anos.”

“Ainda estamos no meio disso, então eu não quero fazer nenhuma afirmação, mas eu acho que nós temos a ideia certa.”

Realmente, adaptar Sandman, que possui 75 edições é muito complicado. Acredito, que o ideal, seria uma série. Um longa-metragem é uma ideai muito arriscada.

É possível ver Joseph em Sin City 2: A Dama Fatal que estreia em 11 de setembro aqui no Brasil.

Neil Gaiman já comentou que prefere não ter nenhum filme de Sandman, do que ter um filme ruim.

Via

Sobre Felipe Goulart

Administrador do site e página no Facebook Neil Gaiman Brasil.

Veja também

Joseph Gordon-Levitt fala sobre Sandman

Veja mais detalhes do processo da adaptação cinematográfica

  • Luiz Felipe Barreto

    Por que ele não pede pro Neil Gaiman escrever algo novo usando o personagem Sandman? Algo que tenha acontecido antes de Entes Queridos e depois de Estação das Brumas. Se fosse uma história original apresentando o personagem daria certo.

    • felipestoker

      Eu tenho medo desse projeto como um todo. Acho muito arriscado apenas uma pessoa tomar conta de tudo. E, além do mais, Sandman é separado em capítulos, o que seria ótimo para uma série e não apenas um filme, ou dois, ou três…

  • Adriano DeSouza

    Eu preferia que as pessoas preferissem ler a obra original ou reler se já a leram. Não acho que o cinema é o ápice da forma de contar qualquer história. Muito pelo contrário. Nenhum filme terá as ilustrações lisérgicas e climáticas do Sam Kieth das primeiras edições. Quadrinhos tem uma associação indelével com as artes plásticas que é impossível ao cinema reproduzir.