Home / Conteúdo / As Aparições de Princess

As Aparições de Princess

banner_oficial 

Pessoal, essa semana iremos fazer um ESPECIAL sobre Neil Gaiman, isso tudo, devido ao lançamento de O Oceano no Fim do Caminho que aqui no Brasil foi lançado pela Editora Intrinseca (que possui um hotsite, clique aqui para ver). Somos parceiros oficias da Intrinseca, então aguarde novidades para o restante da semana! 🙂

      “Qualquer um que acredita em tudo o que o seu gato diz merece tudo o que tem.”

                                                                                                               Neil Gaiman – Stardust, 2001.

Princess

Como primeira conversa sobre Gaiman e sua obra durante esta semana em que recebemos seu tão esperado livro “O Oceano no fim do Caminho”, dedico este artigo aos escritores amadores que por certo carregam bons textos trancafiados a sete chaves em seus arquivos, e que acreditam que somente quando algo bombástico acontecer em suas vidas a veia artística irá definitivamente pulsar.

Sempre imaginamos nossos autores prediletos tendo epifanias sobre a história que acabamos de ler. Uma viagem incrível a um lugar distante, um terrível acidente de carro que lhe gerou uma nova concepção acerca do mundo ou o coração partido por aquela mulher a quem ele sempre dedicará seus livros e que nunca mais o olhará na cara… Mentira. Esqueçam isso! Parafraseando Chris Carter em “Arquivo X” : a verdade está lá fora!

As melhores histórias acontecem baseadas nas coisas mais simples. Acha difícil de acreditar? Neil Gaiman ensina como e eu aqui comprovo a você o quanto isso é possível. Três das melhores histórias dele tiveram como inspiração, participação ou base a pequena Princess, uma gata branca. Uma gata? Isso mesmo amigo… Uma gata.

gata

Gaiman sempre teve essa “coisa” – chamemos assim – de prestar atenção aos pequenos detalhes que o cercam e encontrar a beleza ou o improvável ali mesmo. Talvez seja isso que o aproxima tanto de nós dentro da literatura fantástica, estas amarras que ele cria entre nossa realidade mais básica com o fantástico e impossível. Em “Sandman #18 – Um Sonho de Mil Gatos” vemos a primeira aparição da gata Princess, em um conto onde os gatos, reunidos em uma floresta, relembram o tempo em que eram maiores e mais poderosos que os humanos. Estes, incitados a sonhar em serem mais poderosos que seus opressores felinos, espalham entre os de sua raça a notícia de que é possível mudar esta realidade sonhando em serem superiores aos gatos. Milhares de humanos sonham em uma mesma noite, e no dia seguinte os gatos são o que hoje conhecemos. Nesta reunião na floresta, uma gata de ares místicos discursa, contando sobre seu encontro com Sandman onde ele lhe diz que somente um gato pode encarar o Mestre dos Sonhos e que eles carregam consigo um pouco de seu olhar. Temos aqui a pequena Princess pela primeira vez como protagonista de uma história recheada de metalinguagem e poesia. “Um Sonho de Mil Gatos” fala sobre nosso desejo de liberdade.

Um Sonho de Mil Gatos - Sandman

“Criaturas da Noite: O Preço” é ainda mais incrível. Pela primeira vez ele divulga seu nome em uma história. Gaiman inicia o conto apresentando os gatos da aventura, que não eram seus gatos na realidade a exceção de Princess, que aparece no meio dos felinos “imaginários” com a seguinte descrição: “Princess, a gata branca de olhos azuis e pelos longos, que andou solta pelos bosques, anos e anos, antes de trocar seu hábitos selvagens por sofás e camas macias…”

Percebam neste momento o link de “Um Sonho de Mil Gatos”, 1990, com “O Preço“, de 2004. Princess era a gata que andava solta pelos bosques com sonhos de liberdade, até que cansou deles e os trocou todos por almofadas fofas. Coisas de gato, sem dúvida. Se lhe parece “macia” demais essa obra, não feche a HQ. Ela é uma das mais sinistras histórias de Gaiman que já li e não darei qualquer spoiler aqui, encontre-a e assuste-se por si mesmo, eu recomendo! Se quer uma palavra sobre ela eu diria: metafísica. Agora é com você.

criaturas

Entre “Um Sonho de Mil Gatos” e “O Preço” tivemos a maravilhosa “Stardust“. Ali, Gaiman declara seu carinho a gata em uma dedicatória nos créditos da obra. Segundo uma entrevista sua para o Washington Post em 2005, quando questionado sobre o livro tornar-se um longa metragem ele brincou que gostaria apenas de que a protagonista do longa tivesse a mesma altivez de Yvaine – a estrela – que era nada mais que a encarnação humana de Princess. Nos créditos, o editor comenta sobre a foto de Gaiman: “… aqui ele pode ser visto anotando as palavras ditadas por Princess, que afirma que toda a história é inteiramente verdadeira, e que ela a ouviu de sua tataravó, a gata da família Thorn. Mas Princess muda sua história a cada dia que passa. Qualquer um que acredita em tudo o que seu gato diz merece tudo o que tem…” Acredito que com isso percebemos dois enormes detalhes: o amor do autor por seus animais e a notável capacidade de nos fazer acreditar mesmo que estes bichinhos são fantásticos. Depois de “Stardust” me peguei mostrando a constelação de escorpião ao Ozzy, meu cachorrão amarelo. Ele pareceu interessar-se pela estrela Antares.

stardustSeria Princess diferente por ser a gata de Neil Gaiman ou seria Neil Gaiman diferente por perceber a inspiração partindo de um ser tão comum como um gato? Atrás desta resposta, meu caro, pode estar seu primeiro grande livro. Acredite nisso e faça uma boa arte.

Até a próxima!

Fontes, paixões e referências:

  • SANDMAN #18 – Um sonho de Mil Gatos – Editora Globo, 1990.

  • STARDUST – DC Vertigo – Conrad Livros – 2001

  • CRIATURAS DA NOITE – Dark Horse Books – Ediouro, 2005.

Sobre Carla Umbria

Carla é Turismóloga - calma, não é transmissível - agente de viagens e estudante de Física pela UFPR. Escreve para um blog sobre destinos chamado "Desfazendo a Mala" e também contos para o site "Recanto das Letras". Participou do livro "A Des - Construção da Música na Cultura Paranaense" com o artigo "Por que não Metal?" sobre o Movimento Heavy Metal no Paraná, dos anos 70 até 2000. Apaixonada por quadrinhos, música, astronomia e brócolis na manteiga é politeísta, cultuando Neil Gaiman, P. Craig Russel, Robert E Howard, Isaac Asimov, Bill Sienkiewicz e muitos além, contudo, somente acende velas para Carl Sagan as segundas e Moebius as sextas. Os deuses são muitos, velas são caras.

Veja também

Dark Horse anuncia adaptação de Deuses Americanos

O ano de 2017 será de muitas novidades para os fãs de Neil Gaiman, além …

  • Tiago

    Muito bom!

    • Carla Umbria

      Valeu Tiago! Continue nos acompanhando nesta semana de lançamento. Teremos outros posts muito legais sobre o Gaiman e suas obras 🙂 Abraços!

  • Muito bom este post. Estou acompanhando os posts da Semana Neil Gaiman, já que eu adoro o autor, e este sem dúvida é o mais criativo. Eu achei que vc iria colocar aqui o post que ele fez em seu blog quando a gata morreu…

    E além dos gatos, ele tem dois cães lindos também,e parece gostar bastante deles.

    • Carla Umbria

      Ooww Debora, bela lembrança. Princess faleceu a poucas semanas não é? Eu pensei em comentar mas achei que poderia pender para um lado mais triste, e o que eu queria passar aqui era a capacidade que ele tem em buscar inspiração nas coisas e seres que o cercam. Acredito que este é o maior dom de um escritor. Mas pode deixar que vou buscar sim essa postagem e semana que vem faço um link aqui para ela. Obrigada pelo carinho e continue nos acompanhando!

  • Luciana Santos

    Neil Gaiman é diferente por, entre outras coisas, perceber que gatos não têm nada de “comum”. rsrs.